quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Todo sentimento,ainda que mal

Ainda que mal pergunte,
(Preciso não dormir)
ainda que mal respondas;
(Até se consumar)
ainda que mal te entenda,
(O tempo da gente)
ainda que mal repitas;
(Preciso conduzir )
ainda que mal insista,
(Um tempo de te amar)
ainda que mal desculpes;
(Te amando devagar e urgentemente)
ainda que mal me exprima,
(Pretendo descobrir)
ainda que mal me julgues;
( No último momento)
ainda que mal me mostre,
(Um tempo que refaz o que desfez)
ainda que mal me vejas;
(Que recolhe todo sentimento)
ainda que mal te encare,
(E bota no corpo uma outra vez)
ainda que mal te furtes;
(Prometo te querer)
ainda que mal te siga,
(Até o amor cair)
ainda que mal te voltes;
(Doente, doente)
ainda que mal te ame,
(Prefiro então partir)
ainda que mal o saibas;
(A tempo de poder)
ainda que mal te agarre,
(A gente se desvencilhar da gente)
ainda que mal te mates;
(Depois de te perder)
ainda assim te pergunto
(Te encontro com certeza)
e me queimando em teu seio,
(Talvez num tempo da delicadeza)
me salvo e me dano
(Onde não diremos nada
Nada aconteceu
Apenas seguirei
Como encantado ao lado seu)
: amor.

2 comentários:

  1. Chico Buarque e Drummond? Sem palavras!

    ResponderExcluir
  2. Inseparáveis a poesia dos dois, ad infinitas!

    ResponderExcluir

Opine!